O primeiro jornal fast-news do Nordeste
JUAZEIRO DO NORTE - CE
JUANORTE
O Think Tank da Metrópole do Cariri

Capa 21/05/2017 Edição 422


PREFEITO ORDINÁRIO

Será que o prefeito Arnon Bezerra terá capacidade e condições de fazer uma excelente administração em Juazeiro do Norte e corresponder aos anseios e aspirações do povo juazeirense nestes próximos quatro anos? Esta é uma questão que preocupa aos juazeirenses na atualidade por causa da postura política do prefeito Arnon Bezerra. Pela lógica e pela razão, os juazeirenses não devem esperar de Arnon Bezerra uma gestão marcante de progresso no Juazeiro em relação ao Cariri, como foram as excelentes administrações de Humberto Bezerra, Mauro Sampaio e Manoel Salviano. Esses três deixaram suas marcas históricas em obras monumentais que fizeram Juazeiro dar um salto de desenvolvimento e assumir hegemonia do Cariri. Humberto Bezerra construiu o novo prédio da Prefeitura do Juazeiro(atual), inaugurado em 1965, e considerado na época o maior e mais moderno palácio municipal da região. Mauro Sampaio foi um fenômeno histórico dotando Juazeiro do maior estádio de futebol do interior do Ceará - O Romeirão - inaugurado em 1970 e da estátua do Padre Cíceero, inaugurada em 1969,a segunda maior do Brasil, depois de Cristo Redentor, no Rio, hoje o principal ícone do Nordeste nas agendas e nos calendarios de turismo nacionais e internacionais. E Manoel Salviano também deixou duas obras compatíveis com a marcha de progresso do Juazeiro em relação ao Cariri, ambas inauguradas em 1988 o Ginásio Poliesportivo, o principal do interior cearense, e o Memorial Padre Cícero que, além de moderníssimo museu da história do Juazeiro, é o principal centro de convenções da cidade. Por esse legado de realizações, os juazeirenses esperam que o prefeito Arnon Bezera pelo menos tente se igualar aos três, honrando o cargo de sucessor do Padre Cícero, primeiro prefeito do Juazeiro e maior empreendedor da cidade. O que os juazeirenses não esperam é que Arnon Bezerra

seja um prefeito apenas ordinário, que faz calçamentos, asfaltamentos, postos de saúde, escolas municipais, limpeza urbana, iluminação pública, manutenção da Prefeitura... Isso tudo é obrigação do prefeito. Os juazeirenses querem mais do que isso, mais do que a obrigação. Querem obras de acordo com a grandeza de sua cidade, a que mais cresce no Ceará, Metrópole e Capítal do Cariri. Se não for um gestor com esse sentimento, sentimento de grandeza dos juazeirenses, Arnon Bezrra não entrará para a história e será apenas um prefeito ordinário, como foi seu antecessor Raimundo Macedo, que não deixou nenhuma obra importante para a cidade. Teve até chance, e até se empolgou com o projeto do arrojado e belo viaduto sobre o giradouro do bairroTriângulo, que poderia ter sido construído com o apoio financeiro do Ministério das Cidades, mas ficou só no papel. Todo mundo sabe que a época é de pucos recursos no Brasil. Por isso mesmo o prefeito precisa ter imaginação, criatividade e articulação para superar as dificuldades. Arnon Bezerra tem capacidade e condições de ser um grande prefeito, porém o que lhe falta é o espírito juazeirense. Deu prova disso no recente workshop sobre o planejamento estratégico do Juazeiro. Vejam só que ele disse:: "Devemos fazer com que Juazeiro do Norte tenha a sua importância, no sentido de atrair toda a atenção de uma região, para, junto, prosperar, e não deixar ninguém para trás, além de motivar outros municípios também". Só faltou dizer ""Juazeiro não pode deixar Crato para trás". Ou seja, enquanto prefeito do Juazeiro, sua maior preocupação é evitar que Juazeiro mantenha seu acelerado de progresso, fortalecendo e ampliando sua hegemonia no Cariri e deixando Crato ainda mais para trás. Arnon Bezerra precisa compreender e assumir que Juazeiro é hoje a maior e mais importante cidade do Cariri e do Nordeste central do Brasil- e não penas "uma grande referencia no Cariri", como ele diz aparentemente meio

 

Foto: Vista parrcial do Juazeiro

contrariado - graças ao seu povo empreendedor e trabalhador, o mais progressista da região. Juazeiro sempre teve alta velocidade de progresso, sempre voltado para o seu desenvolvimento e sem se preocupar com a lenta velocidade dos outros, Isso é problema dos outros, problema do Governo do Ceará e não problema do Juazeiro Ora, Arnon Bezerra é prefeito do Juazeiro, não é prefeito de Crato e muito menos Prefeito do Cariri. Essa sua preocupação denuncia claramente o seguinte: Como cratense que é, ele administra Juazeiro pensando em Crato, há mais de um século inimigo do Juazeiro e seu espírito cratense não serve ao Juazeiro. Mantém relação amistosa e de aliado com o atual prefeito de Crato, Ailton Brasil, autor de uma emenda contra Juazeiro na lei de limites intermunicipais tirando e passando para Crato terras do Juazeiro e, por isso, mesmo, considerado agora "persona non grata" no Juazeiro. Como ex-deputado federal, Arnon Bezerra administra Juazeiro pensando em beneficiar Crato e outras cidades da região porque não está preocupado com a evolução do Juazeiro, mas, muito mais, com a próxima eleição. Ele quer usar a prefeitura do Juazeiro para garantir votos na região do Cariri. Sendo esse o perfil político e psicossocial de Arnon Bezerra, Juazeiro não pode esperar que ele seja um Prefeito Extraordinário. Juazeiro já estará no,lucro se ele for um Prefeito Ordinário e cumprir sua obrigação constitucional de defender Juazeiro.Isso é mutio pouco, pouquíssimo, porque é o mínimo na escala deveres de um prefeito, mas é o que ele pode render sem comprometimento mais profundo e sem espírito juazeirense para gerir a os destinos da Metrópole do Cariri. Os juazeirenses deviam ter pensado nsso antes da última eleição. Agora é tarde; Lamentavelmente!te!

.

*Jota Alcides, jornalista e escritor, é autor de "Padre Cícero - O Poder de Comunicação" e "Juazeiro, Cidade Gloriosa"

 


LOCALIZAÇÃO