O primeiro jornal fast-news do Nordeste
JUAZEIRO DO NORTE - CE
JUANORTE
O Think Tank da Metrópole do Cariri

Capa 19/11/2017 Edição 443

JUAZEIRO DE SANTO FORTE
   

Claro sinal de retomada da atividade econômica, depois da mais grave e profunda recessão da história do Brasil, o interior do Ceará tem sido o grande responsável pela geração de empregos com carteira assinada nos últimos dois meses no Estado. O Ceará fechou o último mês de setembro com a criação de 2.161 vagas, sendo a maioria, 1.641,. no interior do Estado. É o que revela documento do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará-Ipece, divulgado nessa semana. De acordo com o Ipece, entre os 184 municípios cearenses, o líder é Juazeiro do Norte com a geração de 338 novos empregos, seguido por Granja (+331 vagas), Maracanaú (+233 vagas), São Gonçalo do Amarante (+189 vagas) e Sobral (+172 vagas). São considerados empregos novos o resultado de admissões menos as demissões, ou seja o saldo positivo. Já os maiores saldos negativos foram observados em Fortaleza (-291 vagas), seguido de Iguatu (-178 vagas), Missão Velha (-120 vagas) e Russas (-103 vagas). Quanto ao desempenho do Ceará, diante dos outros Estados, o documento mostra que Pernambuco foi o que mais se destacou

ao gerar 13.992 postos de trabalho com carteira assinada, seguido por Santa Catarina (+8.011vagas), Alagoas (+7.411 vagas) e Pará (+3.283 vagas). O Ceará ficou na sétima colocação (+2.161 vagas), logo abaixo do Paraná e Bahia. Segundo o analista do Ipece, Alexsndre Lira, o saldo de empregos cearenses no acumulado do ano de 2014 foi positivo, passando a registrar saldos negativos em 2015 (-34.336 vagas) e 2016 (-37.191 vagas). No entanto, no acumulado dos últimos três anos até setembro, o saldo negativo de empregos foi nitidamente decrescente, revelando o início de uma inversão do quadro de crise iniciado em 2015. Essa retomada do crescimento no Ceará passou a ser mais evidente a partir de agosto passado quando o Estado liderou a geração de empregos formais no Nordeste abrindo 4.975 vagas com carteira assinada, resultado de 36.440 admissões e 31.365 demissões. O Ceara ficou atrás apenas de São Paulo (17.320) e Santa Catarina(6.130), conforme o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério do Trabalho. O destaque desse mês foi o setor de serviços, onde Juazeiro do Norte é muito forte, com a geração de 1.702 empregos formais, seguido da indústria de transformação com 976

Foto: Juazeiro, Metrópole do Cariri


vagas, agropecuária (900), construção civil (579) e comércio (533), outros dois setores fortes do Juazeiro. O mês de agosto também foi bom para o interior do Ceará onde foram criados 3.314 novos empregos, segundo Erie Mesquita, analista do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho(IDT), "resultado do reflexo de dois fatores: a sazonalidade do segundo semestre e a recomposição da atividade econômica. Em relação à indústria cearense, o mês de agosto fechou positivo depois de quatro meses no vermelho. Houve uma reação da indústria calçadista (839 novas vagas), que tem boa presença no interior do Ceará, sobretudo em Juazeiro do Norte, que é o terceiro maior polo da indústria brasileira de calçados.. Esses números confirmam o processo de retomada gradual, mas firme e consistente da economia, como resultado das medidas adotadas pelo Governo Federal para o Brasil voltar os trilhos do crescimento. E dessa forma, Juazeiro está reaquecendo e acelerando o seu desenvolvimento econômico como Metrópole do Cariri e Cidade que mais cresce no Ceará. Assim é porque, além da capacidade e da tenacidade admiráveis do seu povo, Juazeiro tem o Fator Padre Cícero, Santo Forte para vencer todas as crises.

.

 



LOCALIZAÇÃO